Artigo: Mês dedicado às mulheres!

Data: 14/03/2022


Ainda que lenta, a participação das mulheres no mercado de trabalho brasileiro vem crescendo gradativamente. Postos e atividades que por muito tempo foram exclusivamente masculinos, hoje são compartilhados! E as rotinas ‘de casa’ - que na maioria das vezes era um espaço exclusivamente feminino, já estão sendo compartilhadas com os homens. 

O foco da equidade - social e economicamente falando - é possibilitar que todos tenham as mesmas oportunidades. E essa clareza se torna um fator determinante quando uma organização decide ser diversa e inclusiva. E para que essa equidade seja alcançada, além de ser necessária a conscientização e valorização das mulheres na sociedade como um todo, precisamos de mais leis, políticas e incentivos - de ordem pública e privada - para que essa mudança aconteça na prática e seja percebida no nosso dia a dia.

Você sabia que 52% da população é composta por mulheres? É nítido que a presença delas no mercado de trabalho está cada dia mais forte… e a tendência é só aumentar. Vemos inúmeros casos de sucesso na mídia. Mas o desafio é manter o equilíbrio, afinal, se elas estão ocupando espaços que antes eram masculinos, quem está desempenhando os papéis que eram só femininos? As mulheres têm, sim, necessidades e habilidades diferentes dos homens - e isso também precisa ser levado em conta quando se pensa em equidade.

Mas uma coisa é certa: cada vez mais, elas ocupam cargos de liderança e provam que lugar de mulher ‘é onde ela quiser’. Esbanjando competência e qualificação profissional, elas estão na política, na engenharia, nas artes, na ciência e na tecnologia. São protagonistas, donas do próprio negócio, empreendedoras, juízas e doutoras!

Agora, internacionalmente falando, o tema da campanha do Dia Internacional da Mulher 2022 é #BreakTheBias: Imagine um mundo com igualdade de gênero. Um mundo livre de preconceitos, estereótipos e discriminação. Um mundo diverso, equitativo e inclusivo. “Seja deliberado ou inconsciente, o preconceito torna difícil para as mulheres seguirem em frente”, afirma o site do IWD. "Saber que o preconceito existe não é suficiente. Ação é necessária para nivelar o campo de jogo."

E apesar de todos os desafios, elas já contribuem de maneira significativa para o crescimento das empresas e a economia do nosso país. E aqui na Link Talentos, temos muito orgulho de fazer parte desse movimento e ser um exemplo da força feminina.

#VemPraLink

por  Dani Goldacker  &  Leyla Berns ;)

Imprimir!  

todos os direitos reservados © 2022

W2O